SÉRGIO GRACIANO VAI REALIZAR SÉRIE ISLANDO-PORTUGUESA "COLD HAVEN"

spi_glassriver_coldhaven
2021-08-30

A SPi e a produtora islandesa Glassriver convidaram Sérgio Graciano para realizador do drama policial islando-português "Cold Haven”. Este projeto vai unir as duas produtoras que mais se têm expandido na Europa Ocidental. O vencedor do Intl. Emmy, em 2011, por Laços de Sangue, que também foi nomeado em 2012 com Windeck, realizaou a segunda temporada de Auga Seca e junta-se agora à equipa de Hordur Rúnarsson (proprietário e produtor da Glassriver) e José Amaral (managing director da SPi).

"O Sérgio é um talentoso realizador português com quem temos vindo a trabalhar em algumas das nossas coproduções internacionais”, diz José Amaral.

Acrescenta ainda que: "O Sérgio tem uma visão criativa muito moderna na forma de contar histórias e uma extraordinária capacidade de trabalhar em coproduções, mantendo o tom local e suas interessantes particularidades. Para "Cold Haven”, o Sérgio irá garantir uma visão portuguesa e dar ao projeto o ponto de vista internacional que esta história merece.”

A série "Cold Haven” é da autoria de Filipa Poppe, autora de "Chegar a Casa”, uma coprodução recente entre a RTP e TVGalicia, e de Joana Andrade, guionista da novela "Rainha das Flores”, que conquistou a medalha de ouro no World Media em 2018. 

Filipa Poppe e Joana Andrade também foram coautoras de Paixão, que conquistou a medalha de bronze no New York Film and TV Festival em 2018.

Joana Andrade já tem vindo a trabalhar com Sérgio Graciano, onde destacamos as duas longa-metragens "O som que desce na terra” e "A impossibilidade de estar só”.

Hoje, 30 de agosto de 2021, apresentamos o projeto "Cold Haven”, no Series Mania Co-Pro Pitching Sessions. A série é um policial que acontece na Islândia, que sonda a experiência da imigração e do conflito entre a ambição de carreira, laços familiares e um profundo sentimento de culpa.

 

Sinopse

Soffia, uma detetive islandesa, tenta solucionar um assassinato na comunidade portuguesa, nas Ilhas Vestmanna, na Islândia. A vítima é Maria, uma jovem portuguesa que veio para a Islândia trabalhar na indústria da pesca do bacalhau de Vestmanna e também para encontrar a liberdade de ser quem é. O caso toma um novo rumo quando Soffia descobre que o seu próprio filho se encontra entre os suspeitos. Será esta a sua oportunidade para se tornar novamente numa mãe, sendo a integridade o preço a pagar?